Menu

Análise – Yoshi’s Crafted World

Yoshi chega finalmente à Nintendo Switch, com Yoshi’s Crafted World, um título que lembra aquelas aulas de EVT onde usávamos materiais diversos para fazer animais ou desenhos totalmente diferentes dos materiais que estávamos a usar. Se bem se lembram desses tempos, este jogo fará com que lembrem-se daqueles tempos, mas de forma mais divertida.

Dois anos depois do último lançamento oficial, eis que Yoshi volta a contemplar-nos com um título bastante original na sua apresentação. Todo o visual do jogo parece vindo duma mesa de colagens e animais de peluche, percorrendo o mundo habitado por várias criaturas. A jogabilidade é relativamente simples, mesmo quando temos níveis completamente diferentes de tudo o que aparece no jogo. O jogo não é difícil, nem esse é o intuito de Yoshi’s Crafted World, quando é explorado normalmente, mas existe sempre uma opção que facilita muito a vida, caso tenham dificuldades em ultrapassar certas fases do jogo. E neste título temos também novos fatos, que podemos desbloquear com moedas que obtemos pelos níveis que percorremos, que aumenta ainda mais a possibilidade passarmos o jogo facilmente, ou pelo menos de evitar danos acrescidos.

Tal como já faz parte da série, temos coleccionáveis a “dar c’um pau” em cada nível do jogo, desde o número mínimo de moedas por nível, passando pelas flores todas, até aos filhotes de Poochy. Em termos de longevidade, o jogo está num patamar bem saudável, principalmente para aqueles que gostam de completar o jogo a 100%, havendo sempre a vontade de voltar e tentar completar o nível, ainda mais por haver sempre pequenos requisitos de objectos espalhados nos níveis, sendo possível revisitar cada lugar no mínimo quatro vezes. E agora, apesar deste jogo estar a sair na Switch e não na 3DS, temos a possibilidade de apontar os nossos ovos para o primeiro ou para o segundo plano, dando uma perspectiva bem diferente ao jogo, onde não são só apenas os trajectos em que passamos, que contêm algo para vislumbrar ou explorar.

Existem excelentes ideias para os níveis, que apesar de não contarem uma história propriamente dita, desenvolvem este pequeno mundo de objectos aleatórios que quando juntos de uma certa forma, fazem sentido. Apesar do jogo não ser propriamente repetitivo, por vezes consegue ser um pouco “mais do mesmo”, o que deixa sempre um mau gosto na boca. Se durante os primeiros níveis, existem aquela vontade de voltar atrás e repetir o mesmo sítio até completar o mapa a 100%, a meio do jogo existe mais a vontade de chegar ao fim e ver novos mapas e o que podem trazer com eles. Para quem gosta do tipo de jogo que a Nintendo costuma fazer com os seus jogos de plataformas 2D, não se irá arrepender, mas não espere sair do jogo com uma nova impressão do género.

E o mesmo acontece com a história e música, que são bastante fofas e interessantes no seu principio, mas depois de um certo ponto, não evolvem nem dão aquela sensação de conquista. Não existe aquelas músicas que definem um jogo, como é o caso de Super Mario Odyssey com os seus desertos frescos e cidades vívidas ou de Breath of the Wild com os seus temas tristes e heróicos. Falta uma certa chama em toda a banda sonora do jogo, que faz falta para relembrar o jogo de forma nostálgica, passando despercebida no fundo de toda a fofura do jogo e de todos os elementos presentes em cada nível. Ainda assim, é competente.

Se Yoshi’s Crafted World for jogado a dois, a diversão aumenta, tal como a dificuldade, pois existem vários inimigos e um companheiro à mistura, tornando toda a experiência mais apetecível. No entanto, se jogado sozinho pode tornar-se aborrecido a partir de um certo ponto, principalmente se jogado sempre seguido. Este é daqueles títulos que devem ser jogados, de forma a contemplar todo o charme do jogo, mas que perde uma excelente oportunidade para inovar e trazer novas cartas para a mesa, com ideias fora da caixa, que normalmente encontramos nos maiores títulos da Nintendo. Ao contrário das outras companhias, a Nintendo apresenta ideias mais arrojadas nos seus títulos de peso e joga pelo seguro nos seus títulos com menos destaque. Ainda assim, é um jogo muito divertido.

█ F.S.

Yoshi’s Crafted World está disponível para a Nintendo Switch. Para mais informações, visita o website oficial.

Yoshi chega finalmente à Nintendo Switch, com Yoshi's Crafted World, um título que lembra aquelas aulas de EVT onde usávamos materiais diversos para fazer animais ou desenhos totalmente diferentes dos materiais que estávamos a usar. Se bem se lembram desses tempos, este jogo fará com que lembrem-se daqueles tempos, mas…

Yoshi's Crafted World

Jogabilidade - 85%
Gráficos - 85%
Som/Banda Sonora - 70%
Longevidade - 85%

81%

Bom

Se Yoshi's Crafted World for jogado a dois, a diversão aumenta, tal como a dificuldade, pois existem vários inimigos e um companheiro à mistura, tornando toda a experiência mais apetecível. Se jogado sozinho pode tornar-se aborrecido a partir de um certo ponto, principalmente se jogado sempre seguido. Este é daqueles títulos que devem ser jogados, de forma a contemplar todo o charme do jogo, mas que perde uma excelente oportunidade para inovar e trazer novas cartas para a mesa, com ideias fora da caixa, que normalmente encontramos nos maiores títulos da Nintendo. Ao contrário das outras companhias, a Nintendo apresenta ideias mais arrojadas nos seus títulos de peso e joga pelo seguro nos seus títulos com menos destaque. Ainda assim, é um jogo muito divertido.

User Rating: Be the first one !
Filipe Silva
Aborrece-me:

Filipe Silva

Viciado em jogos de stealth, luta, beat'em ups e hack 'n slashes, mas um jogo com uma boa história e arte gráfica, é sempre bem vindo. E detesto MGS4.
Filipe Silva
Aborrece-me:

Sem Comentários

Deixe uma resposta

Recebe todas as novidades do mundo gaming diretamente no teu E-mail

Junta-te a nós no facebook

Segue-nos no Instagram

  • Já experimentaram o KEO no @mochexlesports ? Nós já e estamos a adorar!

#KEO #mochexlesports #Playstation #Talents #Gaming #Azores #StartupAngra #mbg #Portugal #Esports #Racing

Vídeo em destaque