Menu

Análise – Tony Hawk’s Pro Skater 1+2

13 anos após Tony Hawk’s Proving Ground e 5 anos após Tony Hawk’s Pro Skater 5, eis que a Activision dá novamente vida à série com um remake. Novamente. Mas depois dos desastres que foram o Tony Hawk’s Pro Skater HD e Tony Hawk’s Pro Skater 5 como tentativas de revitalizar a série, será que à terceira é de vez?

Desde há muito tempo que tenho tido vontade de voltar a jogar THPS, ainda que o meu comando PS2 esteja um bocado velho (leia-se praticamente não funcional), e portanto esta nova adição ao catálogo Tony Hawk é muito bem vinda. Aparte dos gráficos, parece que nada mudou. Reformulando. A jogabilidade não é bem como a original, pois a que vem por defeito é a jogabilidade de Tony Hawk Pro Skater 4, onde a fórmula THPS está no seu auge, com spine transfers, wallplants e reverts, o que não acontece em THPS ou THPS2. A jogabilidade não está 100% igual, por causa do motor de jogo em si, sendo que por vezes a personagem fica “presa” no mapa. Não é problema muito grande, pois raramente acontece, mas acho que isso deve-se ao facto do motor de jogo ser mais realista do que o original. O jogo também “flutua” menos, com uma gravidade mais realista e mais rápida. No geral, a sensação de jogar é muito boa e trás boas recordações, que no final é o objectivo deste jogo.

Temos também vários desafios para desbloquear, desde fazer um truque específico com uma personagem específica, até passar dezenas ou milhares de horas de grind ou manual. Isto serve para os jogadores melhorarem a forma como jogam e aumentar a longevidade, que podia estar melhor, mas já lá vamos. Assim, com estes pequenos desafios, que aumentam a dificuldade ao longo do jogo, também fazem com que os jogadores consigam aprender novos truques e até experimentar outras personagens, que pessoalmente era algo que fazia muito pouco nos jogos originais que tinham o modo Create-A-Skater (CAS), por isso já temos mais uma razão para explorar ainda mais os níveis visto que cada personagem tem os seus pontos técnicos espalhados pelos mapas.

Os gráficos do jogo estão muito bons, principalmente se considerarmos as versões originais dos jogos que tinham vários problemas que eram impossíveis de contornar, dada a limitação gráfica. Agora, conseguimos ver todo o mapa e assim sabemos realmente para onde vamos, sem ter que adivinhar onde cada parte do mapa está no grande nevoeiro à nossa frente. Em termos de mapas, os sítios estão muito bons, com cada pormenor da cidade ou escola muito detalhados, ainda assim sendo bastante fieis aos originais. Os mapas também parecem ter sido feitos para pessoas normais, o que reduz um pouco o seu tamanho, mas são visualmente mais aprazíveis. As caras conseguem ser 50% certas, mas no geral percebe-se quem são os skaters originais, que agora têm mais idade do que no jogo original.

No entanto, existe um problema nos níveis em si. Ou são demasiado fáceis ou demasiado difíceis. Como os jogos originais, mais o caso do THPS, não estavam preparados para grandes combos, a jogabilidade é facilmente quebrada. Por exemplo, podemos conseguir milhões de pontos logo no primeiro nível usando as três rampas. Começamos numa rampa com um grind, saltamos com um ollie entre rampas com direito a gap, voltamos a fazer grind, voltamos a fazer um ollie entre rampas com direito a gap e com o wallplant conseguimos voltar para trás e repetir a combo toda ad eternum, quebrando assim o flow do jogo. Não é culpa de ninguém, muito menos dos developers que tentaram colocar tudo como nos lembramos o melhor possível sem perder as modernices a que estamos habituados, mas é um facto que poderá tornar a jogabilidade mais monótona, ainda que não considere um problema grande sendo que podemos usar cheats e colocar a jogabilidade como o original, para termos mesmo aquela sensação dos anos 90.

Como a jogabilidade está aperfeiçoada em THPS4 e os níveis são mais fáceis, o jogo não é muito longo, sendo este o seu ponto mais fraco. Caso queiram jogar com amigos, online ou local, terão muitas horas de diversão. Se quiserem tentar superar os desafios impostos pelo jogo, como tentar completar os níveis no mínimo tempo possível duma só vez ou arrecadar o maior número de pontos, também terão mais horas de diversão, à vontade. Mas se jogam THPS como muitos jogadores, de forma casual, sozinhos ou apenas para relaxar, não terão muito que fazer depois dos desafios de cada nível. Existem secções escondidas, também essas fáceis e não devem demorar muito tempo para conseguir descobrir tudo, e personagens que podem ser desbloqueadas, que também não devem demorar muito, mas que prolongam o jogo.

Podem ainda demorar a fazer os desafios anteriormente referidos, para desbloquear equipamento, tatuagens e dinheiro, de forma a poderem personalizar a vossa personagem. Também temos personagens escondidas para desbloquear. O modo CAS é muito bom, mas bem que podia ter mais conteúdo e mais personalização. Temos apenas uma paleta de caras, sem podermos mexer muito com cada uma além da cor da pele, cabelo e maquilhagem, ou seja, não podemos alterar a altura, largura ou comprimento da nossa personagem. Temos também mais liberdade de escolha, sem estar definido apenas para dois sexos, como antigamente. Além da roupa e tatuagens, podemos personalizar a nossa tábua, rolamentos e estilo técnico, de acordo com o dinheiro ou pontos técnicos que temos, respectivamente. Até à data desta análise, o jogo não contém qualquer tipo de micro-transacções, mas se futuramente forem adicionadas, será adicionado um novo parágrafo a explicar as diferenças.

Agora, uma das partes mais importantes do jogo. Algo que define a fórmula THPS, é a banda sonora. O jogo tem na sua lista (quase) todas as músicas dos jogos originais. Com algumas adições musicais pelo meio, a banda sonora torna a experiência dos veteranos e dos novatos muito mais agradável. Também é de reparar que agora a banda sonora decorre ao longo de todo o jogo, seja em menus, estatísticas, opções e jogabilidade, ao contrário dos originais que apenas tínhamos 2 minutos para cada música e se voltássemos a repetir o nível, tínhamos que esperar que a nova música fosse carregada. A experiência é muito mais agradável neste título, e mais fácil de escolher músicas com apenas um pressionar de botão para avançar na lista. Podemos também escolher quais estão disponíveis na lista, caso não queiram certas músicas. No entanto, acho que podiam ter feito como noutros títulos anteriores e separar por estilos, visto que nem todos os jogadores apreciam todos os estilos de música presentes no jogos, mas nem isso é um grande problema, mais uma comodidade do que outra coisa.

De forma a responder a pergunta inicial, sim, à terceira é de vez. Este novo remake revitalizou a série, de tal forma que a própria Activision declarou que foi o jogo mais bem sucedido da série. E a verdade é que tem todo esse mérito, pois vê-se o carinho dos developers nesta colecção de memórias que é o Tony Hawk’s Pro Skater 1+2. Se são fãs do género ou da série, é muito fácil recomendar o jogo. Se não são fãs habituais, este é o jogo da série com mais precisão de movimentos e truques, e é uma boa entrada para a mesma. Tendo em conta que provavelmente teremos um remake dos dois próximos títulos da série, é de estranhar porque não tivemos o THPS3 neste pacote, visto ter uma estrutura de jogo muito semelhante, ao contrário de THPS4 que introduz a série ao mundo aberto e retira o tempo limite para os desafios propostos. Mas o futuro parece muito promissor.

█ F.S.

View post on imgur.com

TONY HAWK’S PRO SKATER 1+2 está disponível para a PlayStation®4, Xbox One, Epic Store. Para mais informações, visita o website oficial.

13 anos após Tony Hawk's Proving Ground e 5 anos após Tony Hawk's Pro Skater 5, eis que a Activision dá novamente vida à série com um remake. Novamente. Mas depois dos desastres que foram o Tony Hawk's Pro Skater HD e Tony Hawk's Pro Skater 5 como tentativas de…

Tony Hawk's Pro Skater 1 + 2

Jogabilidade - 95%
Gráficos - 92%
Som / Banda Sonora - 94%
Longevidade - 80%

90%

Excelente

Sim, à terceira é de vez. Este novo remake revitalizou a série. E a verdade é que tem todo esse mérito, pois vê-se o carinho dos developers nesta colecção de memórias que é o Tony Hawk Pro Skater 1+2. Se são fãs do género ou da série, é muito fácil recomendar o jogo. Se não são fãs habituais, este é o jogo da série com mais precisão de movimentos e truques, e é uma boa entrada para a mesma. Tendo em conta que provavelmente teremos um remake dos dois próximos títulos da série, o futuro parece muito promissor.

User Rating: Be the first one !
Filipe Silva
Aborrece-me:

Sem Comentários

Deixe uma resposta

Junta-te a nós no facebook

Vídeo em destaque

Próximos Lançamentos