Menu

Análise – HITMAN 2

HITMAN 2 continua com o mesmo objectivo do título anterior, revitalizar a série HITMAN. Então, temos um jogo muito similar ao título de 2016, o que pode ser uma bênção ou maldição, dependendo de quem responde à pergunta “O jogo é bom?”.

Novamente, é preciso notar que HITMAN não é uma experiência casual, de todo. Pode parecer esquisito estar sempre a reforçar esta ideia, mas este formato de sandbox é um dos seus pontos fortes e que torna a série tão interessante. Bem, depois da redundância redundante, vamos à análise em si. HITMAN 2 pega no que a prequela fez bem, e torna-a melhor. De tal forma, que se já tinham HITMAN (2016), podem fazer download de todos os mapas para o novo título e re-experienciar as mecânicas reformuladas e aproveitam para treinar antes de começar a embarcar numa nova aventura. Se nunca jogaram HITMAN (2016), também podem adquirir os mapas através da loja online. Mas no geral, está praticamente igual, visto que já era muito boa, ficou ainda melhor. Agora, a vegetação torna-se um elemento muito importante, de forma a ficarmos escondidos de certos perigos na mesma.

Temos também uma segunda perspectiva dos inimigos e ou NPC’s especiais que nos odeiam, em casos especiais, tais como encontrar um corpo, alguma distracção em redor dos inimigos, que lembra muito o ecrã de evasão de Metal Gear Solid 2, ou até mesmo Blood Money. E como já faz parte do ADN de HITMAN, os mapas são meticulosamente feitos a pensar em todas as hipóteses de eliminação sem sermos vistos ou da forma mais estapafúrdia que nos lembrámos naquele preciso momento em que fomos repentinamente descobertos por um civil que nada tem haver com o assassinato. E isso abre sempre o leque de oportunidades e possibilidades, dando uma maior dinâmica à jogabilidade. Juntando o facto da jogabilidade ser muito boa, os retoques adicionados neste título simplesmente tornaram a experiência ainda melhor.

Mas se a jogabilidade melhorou, o mesmo não pode ser dito da história que permanece, por enquanto, demasiado episódica. No jogo anterior, a história era (pouco) ampliada à medida que íamos passando os episódios em cada cidade, sendo que algumas cutscenes contavam o porquê de irmos para cada localização, sendo que existia uma razão maior para tudo o que estava acontecendo no mundo de 47. Infelizmente, a sequela tem o mesmo conceito de história, e esta permanece separada entre episódios, e quando aparece, tem muito pouca substância. Para piorar o caso, as cutscenes estão praticamente estáticas, com poucos efeitos de chuva, vento, etc. como apenas os únicos elementos dinâmicos nas mesmas. Não sei se foi uma decisão artística, ou simplesmente uma decisão monetária, mas sinceramente não que tenham sido feitas da melhor forma, pois tira a imersão da história, principalmente se jogarem o primeiro e o segundo título de seguida.

Presumindo que acontece o mesmo que aconteceu com o título anterior, onde apenas saiu uma temporada e alguns DLC’s para o título, seria de esperar mais algum tipo de história apenas daqui a 2 anos, se o plano de revitalização da série se permanecer homogéneo e contínuo. Mas isso seria presumir demasiado, e como tal, a história mantém-se demasiado aberta para uma conclusão no próximo título. Existem demasiados detalhes que faltam à trama principal para tornar a história apetecível como o era nos títulos anteriores. Apesar de ser um pouco curta, HITMAN (2016) contou a história de como Agent 47 começou na ICA e arrecadou a fama de assassino silencioso e sem escrúpulos. Desta vez, vemos duas fases da vida da personagem principal e de outras personagens adjacentes, como é o caso de Diana Burnwood. A parte mais difícil de avaliar, neste momento, é se existe retcons neste título ou se a história foi toda revitalizada e tudo o que aconteceu nos títulos anteriores deixa de existir. É verdade que HITMAN sempre brilhou pela sua jogabilidade e nem tanto pela sua história, mas acho que há espaço para ambas poderem brilhar e tornar a séria promissora e ainda mais apetecível.

Mas falando dos pontos bons de HITMAN 2, vamos ver agora as novidades. O modo Instinto está cá novamente, tal como as oportunidades e o formato episódico, ainda que sejam lançados todos os episódios na data de lançamento. O que continua a não estar cá, é um medidor de som e mais níveis de neve, mas o natal ainda não chegou, por isso poderão haver surpresas nos casos gelados futuramente. Em termos de dificuldade, contamos agora com três categorias: Casual, Profissional e Master, sendo que cada uma corresponde ao grau de dificuldade fácil, normal e difícil, respectivamente. E tal como acontecia no título anterior, existem desafios para cada dificuldade, excepto Casual. Ao completarem desafios, desbloqueiam novas localidades e fatos, novos lugares secretos, e novas armas para melhor planearem o assassinato do vosso alvo.

Os contractos continuam por cá, acompanhados dos novos modos Sniper Assassin, onde podemos assassinar os alvos apenas com uma sniper (sozinhos ou em cooperação com outro jogador), e Ghost Mode, onde lembra muito os níveis de jogos de corridas, ao jogarmos lado a lado, em torno do mesmo objectivo, só que em HITMAN 2, existe uma pequena diferença. Ambos os jogadores têm os mesmos alvos, ambos têm o mesmo tempo e ambos começam no mesmo sítio, sem qualquer tipo de armas. O primeiro que ganhar 5 pontos, que apenas são validados após o jogador matar o alvo sem testemunhas nem o corpo do mesmo ser encontrado pouco tempo depois da execução. E qualquer tipo de eventos que aconteçam a um jogador (explosões entre civis, matar uma pessoa no meio da multidão, etc.) não afectam o outro, tornando o assassinato dos alvos relativamente difícil e interessante. Iremos ter também os ELUSIVE TARGETS como aconteceu no jogo anterior, mas (possivelmente) teremos agora mais tempo para jogar, mas ainda só sabemos do próximo alvo, Sean Bean. E podem até votar em qual arma secreta poderão usar para o assassinar. Iremos ver como irá decorrer este modo, desta vez.

Os gráficos estão um pouco melhores que o título anterior, ainda que tenha presenciado várias vezes, texturas muito baixas em diversos objectos grandes no jogo, mas não melhorias entre títulos não são assim tão grandes, e como tal, poderá não ser do agrado de todos os jogadores, antigos fãs ou novatos na série, saber que as melhorias gráficas ficaram um bocado para trás. Não que esteja mau, mas podia ter sido uma melhoria mais notável, em termos de consolas.

Mas a banda sonora do jogo continua soberba. Continuamos com a orquestra à lá James Bond e temas parecidos, mas sempre de ânimo leve. Durante a história, as coisas tomam um rumo diferente, sendo a música um pouco mais sinistra, mas nada que relembre o passado da série. Tal como o anterior, não existem propriamente temas que se destaquem, mas este caracteriza muito mais os lugares onde nos encontramos, principalmente se somos descobertos, onde podemos ouvir pequenas nuances nos temas de cada episódio. Tudo muito subtil, mas suficientemente diferente e original.

Apesar das poucas diferenças entre títulos, sejam gráficas, sejam em termos de história, sejam apenas os pequenos retoques na jogabilidade, HITMAN 2 consegue ser um bom jogo que os fãs irão apreciar bastante. Ainda que “metade” do jogo seja oferecido por parte do título anterior, vale a pena voltar a refazer os desafios, nem que seja pela jogabilidade. Mas neste momento de lançamento, o conteúdo poderá ser pouco, tendo em conta o histórico do título anterior e as suas temporadas singulares, onde simplesmente foram adicionados pequenos conteúdos aos mapas existentes. Os jogadores têm aqui uma pérola core do género, de excelente qualidade, mas terão que ponderar bem o preço que irão dar pela mesma.

█ F.S.

 

HITMAN 2 está disponível para a PlayStation®4, Xbox One, e na STEAM® para o PC a partir de hoje. Para mais informações, visita o website oficial.

HITMAN 2 continua com o mesmo objectivo do título anterior, revitalizar a série HITMAN. Então, temos um jogo muito similar ao título de 2016, o que pode ser uma bênção ou maldição, dependendo de quem responde à pergunta "O jogo é bom?". https://www.youtube.com/watch?v=PpmD_U90p8o Novamente, é preciso notar que HITMAN não…

HITMAN 2

Jogabilidade - 90%
Gráficos - 85%
Som/Banda Sonora - 88%
Longevidade - 90%

88%

Muito Bom

Apesar das poucas diferenças entre títulos, sejam gráficas, sejam em termos de história, sejam apenas os pequenos retoques na jogabilidade, HITMAN 2 consegue ser um bom jogo que os fãs irão apreciar bastante. Ainda que "metade" do jogo seja oferecido por parte do título anterior, vale a pena voltar a refazer os desafios, nem que seja pela jogabilidade. Mas neste momento de lançamento, o conteúdo poderá ser pouco, tendo em conta o histórico do título anterior e as suas temporadas singulares, onde simplesmente foram adicionados pequenos conteúdos aos mapas existentes. Os jogadores têm aqui uma pérola core do género, de excelente qualidade, mas terão que ponderar bem o preço que irão dar pela mesma.

User Rating: Be the first one !
Filipe Silva
Aborrece-me:

Filipe Silva

Viciado em jogos de stealth, luta, beat'em ups e hack 'n slashes, mas um jogo com uma boa história e arte gráfica, é sempre bem vindo. E detesto MGS4.
Filipe Silva
Aborrece-me:

Latest posts by Filipe Silva (see all)

Sem Comentários

Deixe uma resposta

Recebe todas as novidades do mundo gaming diretamente no teu E-mail

Junta-te a nós no facebook

Segue-nos no Instagram

  • Obrigado Ecoplay!
Análise em breve 😉
#Gaming #Playstation #4Gamers #Ecoplay

Vídeo em destaque